sexta-feira, 4 de março de 2011

Desânimo


Imagem da Internet

Hoje estou desanimada.Sinto-me triste com tudo o que me está a acontecer.Desde há um ano a esta parte que a empresa onde eu e o meu marido trabalhamos está em crise financeira.Além de receber o salário com vários dias de atraso, não tive direito a subsídio de Natal.O meu marido está com baixa médica há três meses e ainda não recebeu nenhum dinheiro.Ele tem estado a fazer fisioterapia há já dois meses e começa a ficar saturado de tanto exercício.O médico disse-lhe que ainda vai ter que fazer mais um mês e só depois irá voltar a trabalhar.Os patrões não informam se a empresa vai fechar ou se vai continuar a funcionar mas com redução de pessoal.A nossa sorte é os meus pais viverem connosco e ajudarem neste momento difícil das nossas vidas.

6 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

As vezes passamos por momentos difíceis em nossa vida. O que não podemos e desesperar e perder a fé. Tudo, passa, é só acreditar.
Grande abraço

manuel marques disse...

A falta de esperança causa o desânimo, bloqueia a criação, confunde a atitude!

Que tudo corra pelo melhor minha amiga.

Beijo e bom fim de semana.

Maria de Fátima disse...

Olá querido Wanderley, obrigada pelas tuas palavras de carinho, conforto e amizade.Beijocas e bom Carnaval.

Maria de Fátima disse...

Olá querido Manuel, és um bom amigo.Nestes dias tenho andado um pouco em baixo, tristonha.Mas com o tempo tudo irá melhorar.Beijocas e bom Carnaval.

Francisco Domingues disse...

Olá, Fátima!
Como animar alguém em cuja vida há tanta incerteza? Alguém que, a cada manhã que se levanta, não sabe se haverá trabalho ou portão fechado? Ah, como dependemos tanto de algo que nos ultrapassa e nos tem cativos! E, perdendo-se o emprego, onde arranjar outro trabalho? - São perguntas que não têm resposta. A melhor atitude é começar já a procurar alternativas para que, quando a má notícia do portão fechado chegar, não entrar em desespero, desfazendo-se em lágrimas que não levam a lado nenhum. Não se deixando já levar pelo desânimo, com a cabeça fria, conseguirá ser mais criativa. Oxalá, primeiro, que a má notícia não se concretize, segundo, que encontre na sua creatividade outra saída para a crise, se entretanto a contecer. Esse trabalho terá de ser pessoal, embora podendo ou devendo socorrer-se de amigos próximos.
Quem dera ter uma varinha de condão para ajudar todas as pessoas que estão em aflição! Quem dera!
Saudações e não desanime! Talvez que, fechando-se-lhe uma porta, se lhe abra uma janela...

Maria de Fátima disse...

Olá Francisco, obrigada pela visita e pelo apoio.Beijos.